Polícia Civil ‘cadastra’ flanelinhas de Ribeirão Preto

4.8 (95.84%) 77 votes

A Polícia Civil realizou nesta quarta-feira (14) um cadastro dos guardadores de carro, conhecidos como flanelinhas, que atuam em Ribeirão Preto. Os policiais percorreram ruas do Boulevard, Vila Seixas, locais próximos aos shoppings e todas as praças do Centro. Andarilhos que estavam nos locais também foram levados para a delegacia.

Ao todo foram levadas 57 pessoas para a Delegacia de Investigações Gerais. Todas possuíam antecedentes criminais por furto, roubo ou tráfico de drogas, mas nenhum ficou preso. “São pessoas ociosas que praticam pequenos furtos e roubos. Estamos esclarecendo o que essas pessoas estão fazendo no Centro. A maioria não é de Ribeirão”, afirma o delegado Fernando Gonçalves de Oliveira, que trabalhou na operação.

De acordo com o delegado Luiz Geraldo Dias, responsável pela Seccional, muitos guardadores de carros fingem pedir esmolas enquanto os motoristas estão parados nos semáforos. Porém, essas pessoas estão aguardando o momento certo para roubar algum objeto. “Com esse cadastro, a vítima chegará à delegacia e terá um álbum atualizado de fotos para identificar o autor do crime”, explica.

Atualização permanente

Segundo o delegado, a polícia realizará a atualização mensal do cadastro. “É grande a quantidade de marginais que chegam à cidade de Ribeirão Preto de todas as regiões do país, por isso temos que renovar as fotos”, comenta.

No entanto, os flanelinhas que foram levados para a DIG não concordaram com a ação da polícia. “A gente não está roubando, fazendo nada”, afirma Cleiton Henrique Santos da Silva, 24 anos, que mora na praça Santo Antônio.

Em 2011, o Ministério Público Estadual chegou a ajuizar uma ação civil contra a atuação de flanelinhas, mas houve indeferimento pela Justiça.

Fonte: Jornal A Cidade






Deixe seu comentário